Cigarro vs hipertrofia: entenda como fumar atrapalha a sua musculação

Você é praticante de musculação e está em busca do corpo perfeito, mas é fumante? Não temos uma boa notícia: existe uma barreira, provocada pelos elementos contidos no tabaco, para quem quer crescer. É algo que torna a relação cigarro vs hipertrofia quase impossível.

Neste artigo, explicaremos como funciona o organismo de um praticante de musculação fumante e não fumante, além do que impede que os resultados apareçam em um caso (mas não no outro). Também abordaremos qual é a solução para ter sucesso na definição do seu corpo e, ainda, deixar o vício.

Preparado para esta conversa séria? Então, continue a leitura e mude já seus hábitos!

Entenda o que faz mal à saúde

É muito comum ouvirmos dizeres como: “mas é só um cigarrinho!” ou “não pode fazer mal!”. Não importa se é um cigarro ou o maço todo, pois o efeito será o mesmo. Todos os fumantes têm uma maior dificuldade ao realizar a síntese de proteínas e a manutenção celular.

Isso acontece porque tais pessoas produzem mais miostatina — hormônio conhecido como fator 8 de crescimento e diferenciação, que limita o crescimento muscular. Ou seja: não adianta malhar ou suplementar, já que todo o esforço será limitado pela tragada que você dá e faz com que seu organismo não consiga se desenvolver.

Além disso, o cigarro contém monóxido de carbono (sim, aquele gás tóxico que sai da descarga dos automóveis), que se associa à hemoglobina e dificulta a chegada do oxigênio aos tecidos. Vale lembrar que se trata de uma substância necessária para o desempenho de várias funções do corpo.

Portanto, podemos dizer que o tabaco dificulta a respiração do organismo, a cicatrização (inclusive muscular, no pós-treino) e a renovação celular, entre outras questões. O monóxido de carbono também se liga às nossas hemácias e deixa o sangue mais denso, grosso.

Isso faz com que o nosso organismo tenha de produzir mais hemácias para suprir a quantidade afetada pelo monóxido. Já a nicotina, a principal substância responsável por causar dependência orgânica entre os fumantes, é quem dá a sensação de prazer, devido ao percurso rápido que faz no organismo.

Ela permanece por, mais ou menos, duas horas no corpo. Quando esse tempo acaba, vem a vontade de fumar novamente, o que causa a sensação de abstinência. Também já ficou comprovado que o cigarro diminui o diâmetro das veias que irrigam a pele, afetando a chegada de nutrientes e do oxigênio, o que pode causar envelhecimento precoce.

Composição do cigarro

Além dessas substâncias mais conhecidas, o cigarro tem mais de 4.700 itens tóxicos. Veja alguns exemplos:

  • Terebina;
  • Xileno;
  • Tolueno;
  • Benzeno;
  • Níquel;
  • Cianeto;
  • Amônia;
  • Cetonas;
  • Formaldeído;
  • Naftalina (sim, aquela usada para matar insetos).

Portanto, você malha, suplementa a alimentação e tem um estilo de vida saudável, mas acaba com todo o seu esforço ao fumar.

Veja quem ganha a luta cigarro vs hipertrofia

Se você diminui a capacidade de oxigenação do seu músculo ao fumar, a irrigação sanguínea — e a consequente chegada de nutrientes ao tecido muscular, além da renovação celular — é extremamente prejudicada. Assim, não será possível crescer como um atleta não fumante.

Esse combo de limitações representa o que há de pior para quem quer moldar seu corpo por meio da hipertrofia. É como se você tentasse encher um copo furado com água: vão entrar treino e suplemento de um lado, mas nada disso chegará ao músculo, devido à barreira causada pelo cigarro, que provocará a perda de todo o seu trabalho.

Já o organismo de quem não fuma é como se fosse uma tela em branco, pronta para receber o desenho que seu autor quiser colocar nela. Se houver uma frequência maior de treino, será possível absorver e devolver com o desenvolvimento do músculo. Caso haja suplementação, a pessoa se beneficiará daquilo e terá um organismo mais saudável, em desenvolvimento e crescimento.

Além de não crescerem adequadamente durante os treinos, com o passar do tempo e o envelhecimento, os fumantes perdem mais massa muscular. Ao longo dos anos, idosos fumantes têm uma maior probabilidade de apresentar sarcopenia. Trata-se da perda de massa muscular relacionada a fatores como falta de equilíbrio, velocidade de marcha, quedas e fraturas.

Fumantes em geral estão mais propensos ao surgimento de doenças cardíacas, à osteoporose e ao aparecimento de vários tipos de câncer — sendo os de garganta, estômago e pulmão aqueles mais comuns.

Use a musculação para se livrar do vício

Se o seu objetivo de construir um corpo saudável é maior do que a vontade de fumar, largue o vício já! Mas, caso a tarefa não seja tão simples assim, recorra à própria musculação para dar aquela forcinha na hora de aguentar firme, sem sucumbir a uma tragada.

A atividade física libera substâncias que causam prazer no organismo, da mesma forma que o cigarro e outras drogas fazem. Assim, quando o fumante pratica exercícios, ele tem a mesma sensação gerada ao consumir a nicotina. Só que, no primeiro caso, há ganhos visíveis e saudáveis no corpo.

Atletas que fumam têm diminuição da oxigenação no sangue, irrigação de órgãos e tecidos em geral comprometida e problemas no olfato e paladar. As complicações são tantas que um organismo fumante precisa de 15 anos para se recuperar complemente. Além disso, fumantes apresentam:

  • menor desempenho durante os treinos, pela falta de fôlego;
  • menor absorção de nutrientes, o que influencia diretamente no ganho de massa muscular;
  • problemas na hora de dormir (o tabagismo influencia diretamente no sono, o que vai atrapalhar seus resultados e o crescimento muscular);
  • batimento cardíaco acelerado, devido ao efeito estimulante da nicotina. Isso acarreta alteração na pressão sanguínea, diminuindo o fluxo de sangue nos vasos e a performance física;
  • produção alterada de catarro, capaz de atrapalhar discretamente a respiração e a performance. Com o tempo, pode haver inchaço crônico nas glândulas de muco e piora do quadro.

Lembre-se: não existem níveis seguros para o consumo do cigarro. Evite a primeira tragada mesmo naqueles ditos mentolados e “inocentes”.

Agora que você já entendeu que a equação cigarro vs hipertrofia é impossível, faça sua escolha por uma vida mais saudável e sem vícios. Treine, suplemente adequadamente, deixe seus músculos respirarem e obtenha todos os nutrientes necessários para crescer.

Que tal saber mais sobre os suplementos fundamentais para ganhar massa muscular? Boa leitura e até mais!

deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado
Campos obrigatórios são marcados *