Saiba o que é cortisol e como isso afeta os rendimentos no treino

O cortisol é um hormônio sintetizado pela parte superior da glândula supra-renal em situações limite e de estresse, em caso de grande esforço físicos ou por deficiência nutricional. Sua síntese ocorre como uma resposta à presença do hormônio adrenocorticotrófico, o ACTH. Por isso, dizem que este hormônio é o precursor do cortisol.

A função do cortisol é ajudar o organismo a controlar o estresse, reduzir inflamações, contribuir para o funcionamento do sistema imune e manter os níveis de açúcar no sangue constantes, assim como a pressão arterial.

O nível de cortisol no sangue mostra um ritmo circadiano acentuado, com níveis de pico geralmente encontrados nas primeiras horas da manhã, com concentração decrescente a partir de então.

O cortisol é também conhecido como “hormônio do estresse” porque sua produção aumenta precisamente em condições de estresse psico-físico e, a mesma é interrompida pelo trabalho em turnos e pela privação do sono.

Sintomas do nível de cortisol elevado

  • Ganho de peso rápido: mesmo se alimentando bem e praticando exercício físico, o cortisol alto influência no aumento da gordura e ganho de peso, pois estimula o apetite.
  • Fraqueza muscular: com a diminuição da absorção de nutrientes essenciais para o corpo, a produção de proteínas também cai e interfere nas células musculares, que acabam se degradando, levando à fragilidade muscular.
  • Dores na cabeça e nas costas: níveis elevados de cortisol durante um longo período de tempo levam suas glândulas adrenais ao esgotamento. Isso aumenta os níveis de prolactina, aumentando a sensibilidade do corpo à dor, como dor nas costas e dores musculares. O cortisol alto também pode causar dores de cabeça.
  • Mudanças de humor, ansiedade e depressão: altos níveis de cortisol suprimem a produção de serotonina, trazendo todo aquele sentimento de tristeza.
  • Desequilíbrio de açúcar no sangue: o cortisol aumenta os níveis de açúcar no sangue, aumentando o risco de desenvolver diabetes. 
  • Problemas com o sono: os níveis de cortisol devem cair à noite, permitindo que seu corpo relaxe e recarregue as energias. Mas se você estiver com o cortisol alto, pode notar que mesmo que tenha estado cansado o dia todo, você terá dificuldades em cair no sono.
  • Função imunológica reduzida: o cortisol desativa os mecanismos naturais de autodefesa do corpo, o que significa que seu sistema imunológico, que deveria proteger o organismo contra agressores externos, deixa o corpo vulnerável a doenças.
  • Cicatrização lenta de feridas: com o sistema imunológico suprimido, poderá ocorrer um impacto negativo na cicatrização de feridas, devido a redução do nível de citocinas pró-inflamatórias e enzimas envolvidas no reparo de tecidos criam um atraso no processo de reparação.

Causas do cortisol alto

  1. Estresse: o cortisol é conhecido como o hormônio do estresse, logo se a pessoa vive em uma constante exposição ao estresse, os níveis de cortisol se mantêm elevados e isso prejudica a saúde.
  2. Tumor: a causa mais comum do cortisol alto é um pequeno tumor, geralmente não maligno, na hipófise que faz produzir em excesso o ACTH, que estimula as glândulas suprarenais a produzir muito cortisol. Este tumor geralmente pode ser removido cirurgicamente.
  3. Síndrome de Cushing: a síndrome de Cushing é causada por um alto nível de glicocorticoide no corpo. Isso pode ser causado por um longo prazo (a causa comum) ou pela produção elevada de cortisol (o principal glicocorticoide feito pelo corpo). Os sintomas geralmente se desenvolvem gradualmente, portanto, o diagnóstico pode não ser conclusivo por um período, sem uma pesquisa mais detalhada.
  4. Medicamentos e outras doenças: os medicamentos que podem afetar os níveis de cortisol incluem pílulas anticoncepcionais, estrogênio, anfetaminas e corticosteroides.

De acordo com o Sistema de Saúde da Universidade de Michigan, outras variáveis ​​podem causar o aumento do cortisol, incluindo a gravidez; baixo teor de açúcar no sangue, comer, beber ou se exercitar antes do teste; doença grave do fígado ou do rim, e hipertireoidismo.

Sendo assim, são muitas as razões pelas quais o corpo pode produzir muito cortisol e testes mais complexos podem ser necessários para encontrar a raiz do cortisol elevado.

Sintomas do nível de Cortisol baixo demais

Quando as glândulas adrenais se tornam inativas ou não produzem quantidades suficientes de cortisol, a condição é chamada de hipoadrenalismo primário. Outro nome para esta condição é a doença de Addison, uma doença autoimune em que os anticorpos são enviados para atacar o córtex adrenal.

Como é uma desordem crônica, esses anticorpos hostis são detectáveis ​​no sangue muito antes de começarem a causar danos importantes e notáveis ​​ao córtex adrenal da pessoa.

Esta situação ocorre quando as glândulas adrenais estão cronicamente cansadas e se tornam incapazes de atender às demandas colocadas sobre elas pelo seu corpo. 

O cortisol baixo pode causar sinais e sintomas como:

  • Depressão;
  • Fadiga;
  • Cansaço;
  • Fraqueza;
  • Desejo repentino de comer doces.

Exames

Teste de sangue de cortisol

O exame de sangue de cortisol mede o nível de cortisol plasmático. O teste é feito para verificar a possibilidade da produção aumentada ou diminuída de cortisol. O cortisol também pode ser medido usando um teste de urina ou saliva.

É necessária a coleta de uma amostra de sangue. O preparo para o teste é simples e provavelmente terá que ser feito no início da manhã, pois o nível de cortisol varia ao longo do dia.

Teste de saliva

A produção de cortisol pelas glândulas adrenais é um dos indicadores mais confiáveis ​​de sua função adrenal e quão bem seu corpo está lidando com o estresse. O teste de saliva mede os níveis dos hormônios do estresse e o cortisol salivar fornece uma avaliação de como os níveis diferem ao longo do dia.

O teste é prático e não evasivo, envolve simplesmente cuspir em um tubo de ensaio. O cortisol pode ser medido quatro vezes – de manhã (8:00 da manhã), ao meio dia, à tarde e à noite (preferência entre as 11:00 e meia-noite). Outros hormônios esteróides também podem ser analisados se solicitados. A refrigeração imediata e jejum não são necessários.

Tratamento

O tratamento para casos de cortisol alto depende da causa do aumento dos níveis desse hormônio. Na maioria dos casos, o tratamento é feito através do controle do estresse e da ansiedade, mudanças no estilo de vida, como praticar atividade física regularmente, ter uma alimentação saudável e equilibrada, bem como evitar situações que possam desencadear ansiedade e estresse.

Se for decorrente do uso de corticoides, o medicamento deve ser retirado aos poucos, seguindo orientação médica.

Para casos em que o nível alto de cortisol é causado pela presença de um tumor, como por exemplo o adenoma de hipófise, o tratamento inclui medicamentos específicos para controlar as taxas do hormônio e cirurgia para retirada do tumor, quando indicada.

O tratamento para baixar o cortisol pode ser feito com remédios prescritos pelo médico. Outras formas de controlar naturalmente o excesso no sangue é fazendo exercício físico regularmente, ter uma alimentação saudável aumentando o consumo de vitamina C e diminuindo o consumo de cafeína. 

Para saber mais sobre o universo dos suplementos e da musculação, curta nossa   página no Facebook, siga nosso perfil no Instagram e se inscreva no canal da Max Titanium no YouTube.

deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado
Campos obrigatórios são marcados *