Creatine Max Titanium – Mais desempenho

Creatine Max Ttitanium

 

A creatina é um suplemento alimentar composto de aminoácidos arginina, glicina e metionina. Encontra-se naturalmente em carne vermelha e frutos do mar. Cerca de 95% é armazenada no músculo esquelético e, o restante, encontra-se distribuído no cérebro, fígado, rins e testículos. Aproximadamente dois terços da creatina intramuscular encontram-se na forma de fosfocreatina (PCr) e o restante é livre. O pool total de creatina é cerca de 120 mmol/kg de massa muscular seca.1

Os vegetarianos apresentam menores reservas de creatina intramuscular (90-100 mmol/kg de músculo seco) e, portanto, podem observar maiores ganhos no conteúdo de creatina muscular a partir da suplementação.2

Para obter um maior ganho intramuscular de creatina, a Max Titanium desenvolveu o Creatine!

Feito com 100% de creatina monoidratada, o Creatine tem como principal objetivo promover o aumento de volume e tônus muscular em praticantes de atividades físicas, principalmente em modalidades de curta duração, alta intensidade e períodos curtos de recuperação.

A função da creatina no organismo está relacionada com o metabolismo energético, sendo uma fonte de energia aos músculos esqueléticos. A suplementação aumenta a concentração total de creatina intramuscular em 10 a 20%. Durante um exercício intenso ela é utilizada para regenerar o trifosfato de adenosina (ATP), com capacidade de aumentar o desempenho em atividades intermitentes e alta intensidade.

A Creatine é um ótimo suplemento para auxiliar no desempenho do atleta, e aumentar a força muscular.

 

 

 

Captura de Tela 2018-03-06 às 09.01.10

Referências Bibliográficas:

1. KREIDER, R.B.; KALMAN, D.S.; ANTONIO, J. et al. International Society of Sports Nutrition position stand: safety and efficacy of creatine supplementation in exercise, sport, and medicine.J Int Soc Sports Nutr. 2017 Jun 13;14:18. doi: 10.1186/s12970-017-0173-z.
2. BROSNAN, M.E.; BROSNAN J.T. The role of dietary creatine. Amino Acids. 2016 Aug;48(8):1785-91. doi: 10.1007/s00726-016-2188-1.

deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado
Campos obrigatórios são marcados *