Lesões na musculação: quais são e como evitar?

Lesões na musculação: quais são e como evitar?

Ter o exercício de força como rotina no dia a dia só traz benefícios. Apesar de todas as vantagens para a saúde que sua prática traz, é preciso ficar atento a algumas lesões na musculação que podem surgir por diversos motivos: postura inadequada, excesso de peso ou simplesmente uma resposta do corpo quando não está preparado para aquele exercício.

Mas você sabe quais são as lesões mais comuns que acontecem durante a prática dessa atividade? Quais são seus graus classificatórios, como evitá-las e quais são seus sintomas? Se você quer saber mais sobre isso e melhorar seus treinos, continue a leitura deste artigo.

Abaixo, você confere quais são as lesões mais comuns e o que fazer para ficar longe delas. Acompanhe!

Conheça os graus das lesões na musculação

As lesões são classificadas em 3 graus de gravidade, saiba quais são e as diferenças entre elas.

Grau 1

As lesões de grau 1 são aquelas em que poucas fibras musculares são rompidas. É possível identificar esse tipo ao observar breve inchaço e desconforto mínimo, já que menos de 5% das fibras musculares são afetadas. Não há perda das funções nesse grau e normalmente pode acontecer ao alongar-se ou contrair um músculo.

Grau 2

Aqui, já acontece um maior envolvimento de fibras do músculo rompidas, que podem variar de 5% a 50%. Pode acontecer um inchaço notável e um desconforto moderado, afetando o grau de contração. Os movimentos ficam limitados e as dores podem ser intensas.

Grau 3

Nesse estágio da lesão, acontece uma total ruptura dos músculos, ou seja, a maior parte das fibras é afetada. Por isso, perde-se toda a função muscular e o movimento, apresentando hemorragia e edema. A dor é aguda, constante e, muitas vezes, é preciso cirurgia para solucionar o caso.

Saiba quais são os danos mais comuns na prática dos exercícios

Estiramento

Esse é um tipo de lesão classificado como grau 1, ou seja, é leve e pode apresentar pouco ou nenhum desconforto. O estiramento ocorre quando as fibras são alongadas de forma exagerada durante a musculação.

A causa do estiramento é, normalmente, a falta de alongamento ou aquecimento antes da prática da atividade física.

Distensão

Apesar de ser semelhante ao estiramento, a distensão pode ocorrer nos 3 graus classificatórios de gravidade. Sua diferença é que ela alonga as fibras exageradamente e acaba por romper mais fibras do músculo, causando mais dor e inchaço.

A distensão mais comum é a classificada como grau 2, em que se rompem mais de 50% das fibras musculares. No treino de força, a má postura e os exercícios praticados sem a técnica correta podem causar a distensão.

Contusão

É um tipo de lesão que acontece a partir de um trauma agudo, ou seja, quando o músculo se choca com algum objeto pesado, atingindo as fibras musculares. As contusões podem acontecer em diferentes graus de gravidade, que variam conforme a velocidade e o peso do que se chocou com a parte do corpo lesionada.

Nos casos mais leves, a contusão pode não apresentar desconforto por muito tempo nem deixar marcas. Porém, nos casos médios e graves é preciso prestar atenção, já que podem ocorrer edemas devido à infiltração do sangue nos tecidos.

Disfunções

Diferente de lesões como contusão, distensão e estiramento, as disfunções não afetam as fibras musculares. Elas são apenas condições pontuais que aparecem devido à contração muscular e não abalam a estrutura das fibras. Confira abaixo quais são elas.

Câimbra

No decorrer de um exercício, ela aparece. A câimbra é uma das sensações mais desagradáveis para quem está bem no meio de uma série de musculação, já que ela surge por uma contração súbita do músculo e é involuntária, ou seja, não é possível controlar.

Embora ainda não haja uma causa específica para seu aparecimento, algumas pesquisas apontam que a desidratação e a falta de sódio e potássio nas células podem ser os gatilhos dessa sensação.

Contratura

É um problema causado na hora de relaxar a musculatura trabalhada. O mecanismo de contração falha e o relaxamento do músculo fica comprometido, o que normalmente ocorre durante a prática de exercícios de alta intensidade. A sensação é de que o músculo não volta para o lugar depois do término do exercício, podendo causar dor e desconforto.

O que pode causar uma contratura muscular é a postura incorreta durante a atividade ou o aumento excessivo e repentino do peso carregado.

Entenda como evitar as lesões musculares

É impossível ter controle de tudo o que pode causar uma lesão, porém, tomar algumas atitudes pode ajudar a evitá-la ao máximo. Abaixo, você confere uma lista do que fazer para não se machucar durante a musculação.

  • Faça um bom alongamento antes e depois de qualquer atividade física;
  • Faça um aquecimento antes da musculação;
  • Se você estiver acima do peso, cuidado com a intensidade e a carga dos exercícios: prefira aumentá-las aos poucos, respeitando a adaptação do seu corpo;
  • Tenha um cardápio equilibrado, com nutrientes, vitaminas e minerais de que seu organismo precisa para sustentar os exercícios sem que você fique com aquela sensação de cansaço e falta de energia;
  • Procure um instrutor de confiança para realizar e acompanhar seus treinos, a fim de corrigir a postura, administrar os pesos carregados e controlar a intensidade dos exercícios, a fim de alcançar progressos sem lesões.

Saiba quais são os tratamentos indicados

É evidente que cada tipo e grau de lesão precise ser tratado de acordo com as orientações médicas e de fisioterapeutas. Porém, é importante ressaltar que existem alguns mitos que podem, em vez de ajudar, atrapalhar a recuperação. Massagens, turbilhonamento e tratamentos com calor, por exemplo, podem aumentar a hemorragia e piorar o quadro.

O que se pode fazer são compressas com gelo envolvido em sacos plásticos ou em bolsas especiais, compressões, elevações do membro lesionado, descanso e proteção do local.

As lesões na musculação são comuns, já que toda atividade física mexe com os músculos e, portanto, é passível desse tipo de situação. É sempre importante procurar um profissional para direcionar a realização desses exercícios e, caso ocorra uma lesão, procurar um médico que vai avaliar e oferecer o melhor tratamento.

Gostou das nossas dicas de hoje? Siga-nos nas redes sociais para ficar por dentro de todos os assuntos do mundo da saúde e dos exercícios físicos! Estamos no Twitter, no Facebook, Instagram, Linkedin e Youtube!

deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado
Campos obrigatórios são marcados *