Multivitamínico: tudo o que você precisa saber sobre o assunto!

multivitaminico-tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-assunto.jpeg
As vitaminas e os minerais são fundamentais para o bom funcionamento do nosso organismo. Por meio de alimentos que os contêm, o corpo realiza várias reações químicas que são essenciais. Essas substâncias também ajudam quem realiza atividades físicas intensas porque, devido ao intenso gasto energético, tais pessoas precisam delas em quantidade maior ainda.

São tantas as funcionalidades que fica fácil entender por que devemos ingerir a quantidade adequada desses micronutrientes. Contudo, você sabia que nem sempre é possível obter o volume adequado por meio apenas da alimentação regular? Ainda que se faça uma dieta rica em frutas, legumes e verduras, não é raro que a necessidade não seja totalmente suprida.

Por isso, é comum precisar de suplementação com multivitamínicos. Quer entender mais sobre eles? Preparamos um guia completo para que você fique por dentro das funcionalidades, dos benefícios e das maneiras de consumir um multivitamínico. De quebra, ainda vai descobrir qual escolher de acordo com os seus objetivos. Acompanhe o nosso post!

Qual é a importância de vitaminas e minerais?

Como mencionamos, o nosso organismo precisa de vitaminas e minerais para processos vitais. São alguns deles:

  • manutenção do ritmo cardíaco;
  • regulação de enzimas e hormônios;
  • auxílio na contração muscular;
  • manutenção da atividade cerebral;
  • balanço de fluidos;
  • produção de energia.

A atuação das vitaminas nos processos fisiológicos, normalmente, está vinculada à otimização do funcionamento das enzimas — funcionando, assim, como coenzimas —, o que facilita as reações orgânicas. Além disso, elas proporcionam retardamento no envelhecimento das células e dos tecidos do corpo, uma vez que são antioxidantes e neutralizam os radicais livres.

Todas essas funções estão presentes em diferentes tipos de vitaminas — A, complexo da vitamina B, C, entre tantas outras —, o que justifica ficar atento às especificidades de cada uma delas.

Apesar de tamanha necessidade, o nosso corpo não é capaz, por si só, de produzir todos esses tipos de substâncias. E a deficiência de vitaminas e minerais pode trazer consequências como queda de cabelo, dores de cabeça, diminuição da força muscular, dores musculares, fragilidade do sistema imunológico e até mesmo letargia, um tipo de fraqueza generalizada causada por patologias e disfunções do organismo.

Vitaminas e minerais devem, então, ser obtidos por meio de uma alimentação saudável e balanceada, que possibilite suprir as necessidades desses micronutrientes. No entanto, apesar de estarem presentes em uma infinidade de alimentos, nem sempre é possível atingir uma quantidade considerada ideal para determinadas pessoas.

O que é um multivitamínico?

Quando não é possível atingir o mínimo de micronutrientes necessários, é preciso complementar essa quantidade por meio do chamado multivitamínico. Ele consiste em um complexo vitamínico e/ou mineral que tem como objetivo auxiliar na reposição diária dessas substâncias no corpo.

Nos multivitamínicos, é possível encontrar as quantidades de vitaminas e minerais que não foram supridas pela alimentação regular.

Assim, eles devem ser consumidos diariamente como forma de manter o pleno funcionamento de atividades básicas do nosso organismo. É importante ressaltar que cada um tem sua composição, podendo haver variações entre diferentes multivitamínicos no que se refere à quantidade de determinada vitamina ou mineral.

Tenha em mente, também, que um multivitamínico não pode nem deve substituir a alimentação normal. Como afirmamos, ele serve como suplementação aos alimentos ingeridos no dia a dia, apenas complementando sua dieta para que você consiga atingir quantidades ideais de micronutrientes, certo?

Quem precisa usar um multivitamínico?

Normalmente, os multivitamínicos são indicados para pessoas que, de alguma maneira, apresentam carência de algum micronutriente ou que, por algum motivo, têm dificuldade em absorvê-los. Sintomas causados pela deficiência de vitaminas e minerais, tais como os que mencionamos, podem ser os principais fatores que motivam o seu uso.

Entretanto, dados os benefícios que representam, o seu uso se estende para vários casos. Pessoas que não conseguem seguir uma alimentação balanceada podem usar multivitamínicos para complementar o consumo de micronutrientes proporcionados por eles.

Dietas alimentares restritas também são um fator que aponta para o uso dessa suplementação. Por exemplo, a dieta da proteína e a dieta sem gordura promovem a falta de alguns micronutrientes que pode ser suprida pelo uso dessa suplementação. Pessoas que levam um estilo de vida vegetariano ou vegano também são propensas a precisar de multivitamínicos.

As pessoas que realizam exercícios físicos intensos requerem maior reposição dessas substâncias. É necessário que haja a quantidade adequada que possa assegurar o bom funcionamento do organismo, bem como potencializar resultados. A hipertrofia é um dos casos em que o multivitamínico pode ser um ótimo aliado quando o assunto é atingir tal objetivo.

Indivíduos com pouco apetite e que, por isso, se alimentam em quantidades menores tendem a incorporar poucos nutrientes no organismo. Um exemplo são pessoas que fizeram cirurgia bariátrica recentemente. Nesses casos, os multivitamínicos auxiliam na ingestão dessas substâncias.

Para todos os casos citados, é fundamental contar com a análise de um profissional, seja um nutricionista ou nutrólogo, de maneira a detectar a deficiência de vitaminas e minerais. Exames laboratoriais são a principal maneira de detectar a insuficiência de algum desses nutrientes. Dessa forma, será possível identificar ou não a necessidade de suplementação por meio de multivitamínicos.

Quais benefícios os multivitamínicos podem trazer para o corpo?

Auxílio na recuperação muscular

As vitaminas são excelentes aliadas quando o assunto é regeneração celular. E isso é muito importante no caso de hipertrofia, mas qual é a relação entre células e ganho de massa?

Uma está diretamente relacionada ao outro! Quando treinamos, as células e as miofibrilas dos nossos músculos sofrem pequenas lesões e, por isso, precisam se regenerar. O corpo então produz substâncias cicatrizantes, o que faz com que haja aumento da síntese de proteínas contráteis, aumentando o volume do tecido muscular.

E onde entram os multivitamínicos? Como mencionado, as vitaminas como a A e a D auxiliam na regeneração das células, o que explica a importância delas para o ganho de massa muscular.

Controle da vontade de comer

O principal motivo pelo qual sentimos fome é a necessidade de suprir nutrientes de que o nosso corpo precisa. Por isso, precisamos nos alimentar adequadamente para que o organismo funcione da melhor maneira possível.

Entre esses nutrientes estão as vitaminas e os minerais. E é aqui que entra o controle da vontade de comer por meio dos multivitamínicos. Eles são capazes de agregar uma quantidade desses micronutrientes e suprir a necessidade deles, fazendo com que sintamos menos fome e, consequentemente, comamos menos.

Essa pode ser uma ajudinha e tanto para quem quer diminuir a ingestão de alimentos e evitar o ganho de gordura, não é mesmo?

Aumento da disposição e da energia

Causada pela falta de ferro e de vitaminas do complexo B no organismo, a anemia, além de causar queda de cabelo, faz com que falte energia para atividades do dia a dia. Para quem treina, pode ser um prejuízo enorme.

Isso se explica pela falta de oxigenação dos tecidos, o que provoca diminuição da produção de energia. Com isso, tem-se a sensação constante de cansaço.

Redução do estresse

A falta de vitamina B12 promove sintomas como fadiga, dificuldade de concentração, fraqueza, dores musculares, variações de humor, entre outros. Por ser uma das precursoras da síntese de serotonina, ela é uma vitamina que auxilia no combate à depressão e à ansiedade, por exemplo.

Diminuição das chances de adoecimento

Os radicais livres são produtos gerados por reações metabólicas do nosso organismo. Pelo fato de serem instáveis e terem alta capacidade de reação, podem se ligar a moléculas do nosso corpo e causar doenças degenerativas e morte celular.

O consumo de vitaminas auxilia no combate a esses radicais livres, colaborando para o fortalecimento do sistema imunológico. Promovendo a regulação de funções básicas do corpo, o uso de multivitamínicos impede que faltem substâncias essenciais que não seriam devidamente absorvidas em uma dieta normal.

Melhora das funções cardiovascular e cerebral

Vitaminas e minerais são fundamentais para o bom funcionamento do sistema cardiovascular como um todo. Eles auxiliam no bombeamento do sangue, o que promove maior oxigenação dos músculos e, consequentemente, melhor desempenho em atividades físicas.

Além disso, minerais como o magnésio são fundamentais para o funcionamento do cérebro, pois atuam na transmissão dos impulsos nervosos, as chamadas sinapses. Isso também justifica a melhora na concentração e a diminuição da fadiga.

Quais são os tipos de multivitamínicos existentes?

Os multivitamínicos são produzidos controladamente para fornecerem a quantidade adequada de vitaminas e minerais. Entretanto, eles podem ser encontrados em formas e composições diferentes. Confira algumas das opções:

  • cápsula;
  • comprimido;
  • drágea;
  • gel;
  • pastilha mastigável;
  • pastilha efervescente;
  • tablete;
  • pó;
  • gotas.

É comum surgir a seguinte dúvida: qual é a forma mais indicada de ingerir esse produto? Isso depende, além da sua rotina, do seu gosto pessoal.

Pessoas que têm uma rotina agitada, normalmente, preferem usar multivitamínicos produzidos em cápsulas, comprimidos, drágeas, tabletes ou pastilhas mastigáveis. Eles são práticos e podem ser facilmente guardados na bolsa.

Já quem prefere dissolver o produto, seja por preferência, seja por causa de gastrite, por exemplo, costuma escolher as opções em pó, em gotas ou em pastilha efervescente. Apesar de serem mais difíceis de encontrar e mais caras, essas formas evitam que, durante a digestão, as mucosas sejam agredidas, como quando se consomem comprimidos.

É preciso ressaltar, no entanto, que diferentes tipos podem ter absorções distintas no que se refere à eficiência. Além disso, se você não gosta de alguns sabores, géis e pastilhas podem ser desvantajosos nesse sentido.

Como escolher o multivitamínico ideal para os seus objetivos?

Funcionalidades das substâncias

Assim como as diferentes vitaminas têm ações e funcionalidades distintas, com os multivitamínicos não poderia ser de outro modo. Dessa maneira, é muito importante ter em mente qual é o objetivo a ser alcançado antes de escolher uma dessas suplementações.

Conheça agora algumas das metas mais comuns e os multivitamínicos mais indicados em cada caso:

  • aumento e recuperação da massa muscular: vitamina C, vitamina D, tiamina, potássio, zinco, cálcio, fósforo, magnésio, cobre e zinco;
  • resistência e ganho de energia: riboflavona, ácido pantotênico, niacina, ferro, potássio, fósforo, magnésio, sódio e vitamina B12;
  • saúde mental: vitamina B6 e ácido pantotênico;
  • saúde física e longevidade: vitaminas A, B6, B12, C e D, ácido fólico, cálcio, zinco e riboflavona;
  • gestação: acido fólico;
  • pós-menopausa: cálcio e vitamina D.

Além disso, é preciso ficar atento à composição de cada multivitamínico, não apenas quanto às vitaminas que ele carrega, mas, principalmente, no que se refere à concentração de cada uma delas. Uma dose baixa pode não surtir o efeito desejado, assim como altas e desnecessárias doses podem provocar danos ao organismo.

Existem até mesmo multivitamínicos que contam com ingredientes adicionais em sua constituição, como chá verde e ginkgo biloba.

Origem dos micronutrientes

As vitaminas contidas em multivitamínicos podem ser tanto sintéticas quanto naturais. Como você deve imaginar, é importante priorizar o consumo desse tipo de suplementação que contenha substâncias provenientes de produtos naturais. Isso pode aumentar as chances de obter resultados desejados, assim como evitar efeitos adversos.

Combinação de vitaminas

O uso de vitaminas de maneira combinada pode trazer benefícios para o corpo em diversos aspectos, possibilitando atuar em mais de uma necessidade.

No entanto, é preciso ficar atento à combinação entre elas, já que é possível haver competição, em que uma altera ou anula o efeito da outra. Isso pode prejudicar ou até mesmo impedir que o resultado esperado seja atingido.

A absorção de ferro e de zinco, por exemplo, pode influenciar na de cálcio. Ferro e zinco também competem entre si.

As chamadas combinações positivas merecem atenção. A ingestão de determinadas vitaminas pode auxiliar na absorção de outras, o que potencializa o efeito da suplementação por meio de multivitamínicos.

A vitamina C é um exemplo de substância que auxilia na assimilação do ferro e do selênio pelo nosso corpo. Já a vitamina D apresenta combinação positiva com o cálcio, sendo eles ótimos combinantes para o fósforo.

Como podemos perceber, havendo planejamento e acompanhamento adequados, é possível potencializar os efeitos dos multivitamínicos. Tal fato pode ser extremamente benéfico para pessoas que fazem exercícios físicos intensos, como musculação.

Benefícios de cada uma

Para entender mais sobre o papel de cada vitamina, fizemos um resumo dos principais benefícios das principais. Vamos lá?

Vitamina A

A vitamina A é uma ótima aliada quando o assunto é saúde. Entre os seus benefícios estão a manutenção da saúde dos olhos, a prevenção de doenças cardiovasculares, o efeito antioxidante (que protege o corpo dos radicais livres), a melhora da saúde óssea e nervosa, a prevenção ao envelhecimento e o auxílio no ganho de massa muscular.

Vitaminas do complexo B

Existem diversas vitaminas do complexo B, cada qual com sua função. Entre as funções mais importantes estão: regeneração celular, diminuição do estresse, antioxidação, prevenção ao envelhecimento precoce, diminuição do colesterol ruim no sangue, obtenção de energia, melhora da pele, do cabelo e das unhas.

Vitamina C

O principal benefício da vitamina C é conhecido por muita gente: a melhora do sistema imunológico, prevenindo gripes e resfriados. Ela também faz muito bem para a pele, uma vez que potencializa os efeitos do filtro solar, protegendo contra os raios solares.

Essa vitamina também auxilia na constituição muscular, já que contribui para a absorção do ferro pelo organismo. Igualmente ajuda na cicatrização de ferimentos, na melhora da saúde ocular e na prevenção de doenças cardiovasculares.

Vitamina E

Essa vitamina é conhecida por ter poder anti-inflamatório e diminuir os danos causados por radicais livres. Ela também auxilia na manutenção da pele, no fortalecimento do sistema imunológico, na melhora da capacidade cognitiva, podendo ter efeito positivo até mesmo na fertilidade.

Vitamina K

Assim como o complexo da vitamina B, a vitamina K apresenta mais de um tipo. No geral, esses tipos são responsáveis por auxiliar no processo de coagulação sanguínea, na manutenção dos ossos e do fígado, na prevenção de doenças cardiovasculares, no emagrecimento e no fortalecimento do sistema imunológico.

Qual é o melhor horário para tomar multivitamínicos?

Além da quantidade e do tipo de multivitamínico, outro fator que deve ser considerado ao fazer uso desse tipo de suplementação é o horário no qual ele será ingerido. Isso deve ser definido conforme a composição do suplemento alimentar, bem como quanto à demanda nutricional e objetivos.

Uma coisa é certa: procure sempre tomar o seu suplemento vitamínico com alimentos sólidos. Isso se explica pelo fato de que grande parte das vitaminas é lipossolúvel, ou seja, dissolve-se em gordura, o que facilita sua absorção.

Para isso, é fundamental observar a rotina de cada indivíduo. Se você gosta de treinar na academia, a composição do multivitamínico, assim como sua demanda, será diferente em comparação com uma pessoa sedentária.

Assim, pessoas que fazem musculação podem ter os efeitos potencializados quando tomam multivitamínicos depois do treino, já que poderão repor possíveis perdas de vitaminas e minerais. Estes exercem influência no funcionamento celular e, por isso, são importantes para a recuperação pós-treino.

Lembra da questão sobre tomar multivitamínico durante uma refeição sólida? Caso substitua uma refeição de forma saudável e faça uso de shakes após a musculação, o indivíduo pode aguardar a próxima alimentação para usar a suplementação vitamínica.

Para pessoa que não faz exercícios físicos, o indicado é tomar o multivitamínico logo na primeira refeição. Assim, ela poderá absorver os nutrientes ao longo do dia e aproveitar os benefícios que eles proporcionam.

De todo modo, é sempre importante ler o rótulo das substâncias que ingerimos. Dessa forma, fazemos o melhor proveito possível do produto que adquirimos mediante as especificações e orientações do próprio fabricante.

Em quais casos é contraindicado fazer uso de multivitamínico?

A famosa frase “tudo em excesso é prejudicial” se aplica a esse caso. O uso de multivitamínicos pode proporcionar diversas melhorias no organismo, servindo como um complemento à alimentação normal.

O exagero no consumo dessas substâncias (também conhecido como hipervitaminose) pode ser prejudicial, com a possibilidade de duas situações ocorrerem: excreção do excesso ou acúmulo, provocando efeitos adversos, a depender da substância usada.

Veja algumas consequências do consumo excessivo de vitaminas e minerais:

  • possibilidade de formação de cálculos renais;
  • dores de cabeça crônicas;
  • modificações na coagulação sanguínea;
  • alteração na textura e na quantidade de cabelo;
  • ressecamento da pele;
  • hipertensão intracraniana;
  • fraqueza generalizada;
  • aumento ou rompimento do baço (alterações esplênicas);
  • reações alérgicas;
  • dificuldade na respiração;
  • convulsões;
  • fragilização de alguns tecidos e dos rins;
  • danos ósseos.

Por isso, o consumo dessas substâncias deve ser feito sempre com o acompanhamento de um profissional, respeitando-se as quantidades e os tipos de vitaminas receitados.

Por quanto tempo é possível usar um multivitamínico?

Assim como o tipo de suplementação vitamínica a ser feito, o tempo pelo qual ela será usada deve ser determinado pelo profissional que o indica. É muito importante que seja um intervalo de tempo limitado, preferencialmente somente durante o período em que a necessidade é evidente — por exemplo, gestação ou operação bariátrica recente.

Assim, quando os exames indicam baixa de alguma vitamina ou mineral, a suplementação costuma ser importante até o momento em que seja percebida melhora no quadro.

O multivitamínico pode gerar aumento de gordura?

Os suplementos vitamínicos e minerais não geram aumento de gordura, pois não oferecem quantidade expressiva de calorias para quem os consome. Apesar de algumas vitaminas facilitarem o emagrecimento, o multivitamínico em si não tem essa função.

As mudanças que algumas pessoas percebem nesse quesito podem ser provenientes de aumento do apetite. É comum que ,quando há deficiência nutricional, haja também falta de vontade de comer. Por isso, quando essa reposição é feita, o indivíduo pode perceber aumento no consumo de alimentos.

Como você pôde ver, os multivitamínicos são soluções práticas que ajudam muito quem precisa incrementar a ingestão de vitaminas e minerais. Eles são indicados tanto em caso de falta de alguns dos nutrientes essenciais para o corpo quanto para pessoas que precisem fazer a suplementação desses micronutrientes, seja por atividade física intensa, seja por situação momentânea.

Na hora de escolher um, é preciso ficar atento às variáveis citadas, de maneira a evitar qualquer efeito adverso, tanto pela falta como pelo excesso das substâncias. Assim, os benefícios serão aproveitados, e os resultados mais facilmente alcançados.

E você, já escolheu o multivitamínico mais adequado para os seus objetivos? Então, está esperando o quê? Entre em contato conosco e conheça os nossos produtos!

deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado
Campos obrigatórios são marcados *