Proteína isolada vs proteína hidrolisada: entenda as diferenças

proteina-isolada-vs-proteina-hidrolisada-entenda-as-diferencas.jpeg

De todos os nutrientes que o nosso corpo precisa diariamente, a proteína está entre os mais indicados para aqueles que praticam exercícios físicos. Isso porque ela é fundamental para inúmeras funções, entre elas o processo de reparação dos tecidos e o ganho de massa muscular.

Com o objetivo de atingir suas necessidades, muitas pessoas optam por formulações à base de whey protein. O que alguns desconhecem é que existem diferentes versões, tais como a proteína isolada e a proteína hidrolisada e cada uma oferece inúmeros benefícios.

Para ajudá-lo a conhecer e a entender as principais diferenças entre esses suplementos, trouxemos um conteúdo completo sobre o assunto com base em informações concedidas por Rodrigo Loschi, nutricionista e membro do time de especialistas da Max Titanium. Ficou curioso? Continue a leitura e confira!

Composição

Existem dois tipos de proteínas encontradas no leite: soro e caseína. O soro é a parte líquida que permanece depois do processo de fabricação do queijo — após as etapas de coagulação e remoção da coalhada. Esse subproduto constitui cerca de 20% do total de proteínas presentes no leite de vaca.

O termo whey protein refere-se a uma substância complexa que contém diferentes componentes, como beta lactoglobulina, alfa lactalbumina, lactoferrina e imunoglobulinas. Até o início da década de 70, os fabricantes de queijo costumavam descartar o soro, pois desconheciam seu valor comercial.

Cada uma dessas frações tem benefícios específicos para a saúde. De acordo com um levantamento bibliográfico, essa fórmula apresenta um excelente valor biológico, uma vez que pode superar outras fontes de proteínas devido ao seu perfil rico em aminoácidos que nosso corpo não é capaz de produzir.

Existem algumas variações de whey protein baseadas em diferentes processos de produção aplicados ao soro do leite. O primeiro é a proteína isolada, em que a água é removida junto com a maior parte da lactose e da gordura, oferecendo cerca de 60 a 90% de proteína concentrada.

Outro tipo é a proteína hidrolisada, um produto específico e menos comum parcialmente pré-digerido por enzimas. Esse processo, chamado de hidrólise, é aplicado na decomposição de algumas das ligações peptídicas dos aminoácidos em cadeias curtas, de modo a acelerar a absorção e a disponibilidade desse nutriente no organismo.

Indicações

Não é segredo que as pessoas que praticam exercícios regularmente necessitam de mais proteína do que as sedentárias. Isso é importante para alcançar um balanço proteico positivo, o que significa fornecer ao corpo material suficiente a fim de prevenir a perda de massa muscular.

Uma revisão realizada em 2018, envolvendo 52 pesquisas, constatou que os benefícios do whey protein incluem o aumento de muitas ações fisiológicas, como melhora na capacidade imunomoduladora e da atividade antimicrobiana, crescimento da massa muscular, entre outras.

Segundo Rodrigo, a versão hidrolisada é indicada principalmente para quem já fez cirurgia bariátrica — especialmente durante o pós-cirúrgico — ou para aqueles que apresentam desconforto gástrico com o uso do whey, causado por outros fatores além da lactose.

Ele afirma ainda que os indivíduos que sofrem devido a problemas com a digestão da lactose ou com as condições apresentadas anteriormente podem contar também com essa opção. É comum encontrar, ainda, a mistura do tipo hidrolisado e isolado, porque ela atende também às pessoas que têm problemas com lactose.

Para o entrevistado, não é possível associar a absorção mais rápida da proteína hidrolisada a um ganho superior de massa magra, uma vez que esse nutriente não faz milagres. A suplementação é apenas um tijolo na construção de uma casa inteira. Os níveis de aminoácidos devem estar equilibrados constantemente. Para isso, a proteína deve ser fornecida de maneira fracionada na dieta ao longo do dia.

Aos que buscam uma opção com alta concentração de proteína e que não tem nenhum problema com a lactose ou complicações gástricas e intestinais, o nutricionista recomenda o Top Whey. Ele conta com 3 diferentes tipos de proteína e está na lista dos melhores do mercado.

Atuação no organismo

As proteínas são vitais para a nossa saúde. Trata-se de um componente indispensável a quase todos os sistemas do corpo, pois participa do processo de crescimento e reparação celular.

O whey é uma proteína completa, sua formulação conta com os 20 aminoácidos essenciais, inclusive os componentes do BCAA (leucina, isoleucina, valina) e também da glutamina.

Ainda que a alimentação ofereça esses nutrientes, a absorção do soro do leite, por meio do consumo do whey protein, é muito mais veloz. Quanto antes o organismo recebe a proteína, mais rapidamente ela começa a trabalhar na recuperação muscular e na construção de novos músculos.

Ademais, uma pesquisa concluiu que o consumo desses produtos promove aumento no desempenho, força, composição corporal e melhora na saúde dos indivíduos avaliados.

Benefícios

Se você tiver problemas de tolerância as outras versões, ou se estiver buscando enfatizar a proteína enquanto mantém os carboidratos e a gordura reduzidos, a versão isolada ou mesmo a hidrolisada podem ser boas alternativas. Entretanto, é necessário destacar que embora a forma isolada possa ser digerida mais rapidamente, ainda é devagar quando comparada à hidrolisada.

Outro fato a ser considerado no momento da escolha é que uma vez que o hidrolisado sofre um rigoroso processamento, acaba com o custo ainda mais elevado. Por isso, esse tipo de proteína costuma ser indicada em poucas circunstâncias, como as já citadas ao longo do texto ou para aqueles com objetivos mais específicos, como fisiculturistas em fase de cutting — perda de gordura junto à manutenção da massa muscular.

Contudo, nenhuma é pior ou melhor do que a outra, tudo depende de diversos aspectos individuais e de como cada um faz uso delas.

Depois de todas essas informações, o melhor é decidir entre a proteína isolada ou proteína hidrolisada com base em suas necessidades individuais, gasto energético, rotina, alimentação, duração e tipo de exercício físico, preferencialmente com o auxílio de um nutricionista esportivo.

Fique ligado: na hora de adquirir um suplemento é indispensável observar se há adição de açúcar ou outros componentes indesejados. Para isso, busque uma empresa que trabalhe com matéria-prima de alta qualidade como a Max Titanium. Em caso de dúvidas entre em contato conosco!

deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado
Campos obrigatórios são marcados *